Destaque Empreendedorismo Entrevista

JANETE VAZ E SANDRA SOARES – Coragem, confiança e obstinação

Fundadoras do Grupo Sabin contam a história da criação do laboratório que é uma das referências não só em Brasília, mas no país inteiro.

Brasília ainda era uma cidade nova, recém-nascida, sendo o cenário ideal para quem chegava à nova capital com sonhos e vontade de construir algo. Foi assim que a história do Sabin Medicina Diagnóstica nasceu em 1984, a partir do encontro de duas mulheres que tinham visões de mundo muito parecidas.

Vinda de Anápolis, cidade goiana localizada há 150 km do Distrito Federal, a recém-formada bioquímica Janete Vaz encontrou emprego em um laboratório na cidade. Porém, seu objetivo desde a mudança para a capital do país era empreender.

A bioquímica e farmacêutica Sandra Soares Costa veio de Minas Gerais para Brasília em 1979. Apesar de já ter alguns negócios com sua família na área farmacêutica, ela trabalhava no mesmo laboratório que Janete. Foi nesse emprego que as duas histórias se cruzaram.

Logo de início, Janete já procurava sócios para abrir seu próprio negócio. “Convidei Sandra e mais dois colegas, até o dia que ela aceitou”, recorda a empresária.

Sandra foi cautelosa e demorou um pouco para embarcar na ideia. A empresária relembra que na época, disse à colega que precisavam crescer um pouco mais, além da experiência na área farmacêutica. “No momento, acho que precisamos crescer um pouco mais. Nós temos o conhecimento técnico, pois conhecemos a área de laboratório, mas temos que adquirir outras competências”, relembra a resposta dada à colega após receber a proposta.

A chance de entender como funcionava um laboratório por completo, não só a parte técnica na qual estavam diretamente ligadas, aconteceu justamente onde se conheceram. Nos anos em que trabalharam juntas, de 1981 a 1984, tiveram contato com gestão, administração e atendimento ao público.

Em 1984, Sandra finalmente decidiu aceitar a proposta de Janete. Apesar do contexto político-social do país, que tinha como reflexo uma crise econômica onde a inflação não tinha controle, decidiram montar seu próprio negócio.

Para Sandra, a crise não foi um empecilho para acreditar no sonho. “Se formos falar, como empreendedor, você vai esperar passar o momento de crise no país [para empreender]? Isso não existe. Em todos os momentos nós vivemos alguma crise”, argumenta.

Era o começo de uma história de sucesso, resultado do coração e de mentes que estavam dispostas a promover saúde baseada em coração, autoconfiança, obstinação, inovação, qualidade, salto tecnológico e preocupação constante com o atendimento humanizado.

Quando abriu as portas, na década de 80, o laboratório contava com apenas três colaboradores. Após 35 anos no mercado, o número de pessoas trabalhando no Sabin ultrapassa os cinco mil nos 235 laboratórios que estão espalhadas por mais de 46 cidades brasileiras.

Um dos principais pontos para esse sucesso foi entender que no empreendedorismo, ninguém faz nada sozinho. Para Janete, que é também uma das fundadoras do grupo Mulheres do Brasil, que busca construir um mercado de trabalho melhor para as mulheres do país, “acreditar que pessoas felizes produzem mais e buscar inspirar pessoas para cuidar de outras” é um dos segredos da gestão de pessoas que fez com que o Sabin chegasse onde está.

Além das funções no Sabin, Sandra é presidente do conselho empresarial de HIV/AIDS do Distrito Federal, e sempre apostou em “acompanhar o desenvolvimento tecnológico e cientifico”, buscando o que há de melhor no mercado, sem ter medo de mudar. Algo indispensável para que as coisas dessem certo.

Assista a entrevista na íntegra no nosso canal oficial no Youtube: Voz de Brasília TV.