Covid-19 Saúde

ÓBITOS PELA COVID CHEGAM A 600 MIL, MAS MÉDIA DIÁRIA CAI PARA 500

O Brasil deve registrar hoje a marca simbólica de 600 mil óbitos resultantes da Covid-19, mas a Fiocruz registra forte queda desse índice, atualmente na média de 500 casos por dia. Em abril deste ano, foram notificados mais de 3 mil óbitos diários, número que caiu principalmente em função da ampla vacinação.

O Boletim Observatório Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), mostra também equilíbrio na taxa de ocupação de leitos de UTI para adultos no Sistema Único de Saúde (SUS), que saiu da condição crítica.

Ontem, o total de óbitos no Brasil chegou a 599.810 óbitos, com o registro de 451 óbitos nas últimas 24 horas.

Os pesquisadores da Fiocruz previnem que a população deve continuar usando máscara e mantendo as demais medidas preventivas.

O boletim da Fiocruz informa que, na maioria dos estados, as taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 apresentam índices inferiores a 50%.

VACINAÇÃO – São 97.212.008 brasileiros que já tomaram a segunda dose ou dose única contra a Covid-19, o que corresponde a 45,57% da população.

Os que tomaram a primeira dose são 148.856.842 pessoas (69,78%).

A dose de reforço foi aplicada em 1.954.584 pessoas (0,92%).

 

CFM – Presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Mauro Luiz de Britto, reagiu ao anúncio do relator da CPI da Covid, Renan Calheiros, de que a Comissão de Inquérito passaria a investigar o chefe do Conselho.

Em nota, Mauro acusou a CPI de “dar palanque” a detratores do CFM.

Ele reafirmou o argumento da liberdade do médico, conforme a orientação mantida pela CFM desde o início da pandemia no caso de possível tratamento precoce contra a Covid-19.

 

FACULTATIVO – Na segunda-feira (11), antes do feriado do dia 12, haverá ponto facultativo no Governo Federal.

 

SHOWMÍCIOS – Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu manter a proibição de artistas em comícios e reuniões de candidatos, popularmente conhecido como “showmícios“, para as eleições de 2022.

No entanto, o STF votou a favor da liberação de artistas em eventos de arrecadação de fundos para as campanhas eleitorais no próximo pleito, situação que ainda carece de melhor entendimento e deve ser esclarecida pela Justiça Eleitoral. 

 

PROPAGANDA – Câmara dos Deputados aprovou projeto do Senado que retoma a propaganda partidária gratuita em rádio e televisão, condicionada ao cumprimento da cláusula de desempenho. Proposta volta para análise do Senado.

Pelo texto, em cada semestre, o partido que cumprir a cláusula de desempenho da Emenda Constitucional 97/17 contará com tempos totais de 5, 10 ou 20 minutos, sempre em inserções de 30 segundos.

A cláusula de desempenho estipula que somente terão direito ao dinheiro do Fundo Partidário e ao acesso gratuito ao rádio e à televisão os partidos com um mínimo de votos distribuídos por 1/3 dos estados ou um número mínimo de deputados federais, também distribuídos por um 1/3 dos estados.

 

ABSORVENTES – Presidente Bolsonaro vetou a distribuição gratuita de absorventes para mulheres de baixa renda, medida prevista no Projeto de Lei 4968, de 2019, que foi aprovado pelo Congresso.

Bolsonaro sancionou a criação de um Programa de Proteção e Promoção da Saúde Menstrual com uma “estratégia” para a “promoção da saúde e atenção à higiene feminina”. Não se sabe ainda como se desenvolverá esta ação.

 

HORÁRIO – Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que o Brasil não terá horário de verão agora, nem nos próximos anos.

Ele disse que não há risco de haver racionamento ou apagão.

 

ECONOMIA – Dólar voltou a subir, fechando ontem a R$ 5,517, com alta de 0,57%.

Índice Ibovespa, da Bolsa de Valores, fechou aos 110.585 pontos, subindo somente 0,02%.

Por RENATO RIELLA

Comentar

Clique aqui para postar um comentário

Entrevista TVN Brasil - Tempos de Mudança