Poliana Aparecida Valgas
Poliana Aparecida Valgas Carvalho
Empreendedorismo Inovação & Negócios Notícias Últimas Notícias

Plenária define nova diretoria do CBH Rio das Velhas e elege Poliana Valgas como presidente

Poliana Aparecida Valgas

Secretária-adjunta do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) nos últimos dois anos, Poliana Aparecida Valgas Carvalho foi eleita – em reunião Plenária na última quinta-feira (17), realizada por videoconferência e com transmissão ao vivo pelo YouTube – a primeira mulher a presidir a entidade. Natural de Santana do Pirapama, no Médio Rio das Velhas, Poliana é engenheira ambiental por formação e atual secretária de Meio Ambiente do município de Jequitibá.

Os demais membros que compunham a diretoria na gestão 2018-2020 estão na chapa “Renovação e Experiência”, vencedora do pleito atual. Em razão da necessidade de rodízio de segmentos em cada um dos cargos, o então presidente Marcus Vinícius Polignano, representante da sociedade civil pelo Instituto Guaicuy, passa a ser o novo secretário do Comitê. Renato Júnio Constâncio, representante dos usuários de água pela Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais), agora é o novo vice-presidente no lugar de Ênio Resende de Souza, representante do Poder Público Estadual pela Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais), que agora ocupa o cargo de secretário-adjunto.

“Agradeço o voto de confiança que está sendo depositado a mim e a esta diretoria, o que me deixa bem tranquila. Diretoria esta que traz um novo olhar, um olhar mais inclusivo, uma gestão que vai ser compartilhada e uma gestão democrática. Todos os membros desta diretoria terão papéis definidos, com pautas importantes. Isso mostra a maturidade deste Comitê em trabalhar de forma descentralizada, assim como a Política de Recursos Hídricos tanto prega”, afirmou Poliana Valgas.

 

A nova presidente destacou também a sua história no Comitê e a integração com os demais membros da Diretoria. “Eu gostaria de parabenizar muito a postura do Polignano, que foi sempre um grande líder, sempre muito envolvido e com uma postura muito positiva de mediação, a lucidez do Ênio e a parceria do Renato. Eu tenho orgulho de fazer parte deste Comitê, de participar com pessoas tão envolvidas e engajadas. Eu só tenho a agradecer a oportunidade fazer parte disso aqui”, afirmou Poliana Valgas.

Para esse novo mandato, a proposta de chapa focará em dois principais pontos: um olhar atento aos municípios, buscando uma maior e efetiva participação destes nos programas e atividades do Comitê, incluindo em especial o ‘Revitaliza Rio das Velhas’, e um trabalho no desenvolvimento e despertar de novas lideranças na bacia.

A dinâmica que se propõe é da continuidade do trabalho, resgatando as conquistas atingidas e traçando novas metas e objetivos vinculados aos seguintes eixos: Água em qualidade; Água em quantidade; Gestão de Recursos Hídricos; e Participação Social e Institucional.

Presidente do CBH Rio das Velhas nos últimos sete anos, Marcus Vinícius Polignano fez um balanço positivo do mandato que proporcionou uma harmonia entre os diversos segmentos e impulsionou melhorias na gestão das água na bacia. “Tudo o que fizemos foi feito a várias mãos, com a participação de cada um aqui. Isso mostra que a gente não partiu do zero. E tudo que fizermos a partir de agora a gente tem que honrar essa história que construímos. A mobilização, a participação, a vontade de querer fazer as coisas dar certo, é o DNA deste Comitê. Mesmo tendo por vezes interesses conflitantes entre usuários, sociedade e poder público, a gente procurou chamar todos aqui para a responsabilização coletiva e, acredito, o saldo tem sido positivo”, disse.

Em uma próxima reunião, ainda a ser agendada, serão definidos os membros da Diretoria Ampliada, uma peculiaridade do CBH Rio das Velhas que amplia a participação das entidades na tomada de decisão. Composta por dois membros de cada segmento, o colegiado assessora a presidência e a Diretoria na tomada de decisão e no encaminhamento das proposições do Comitê.

Outros assuntos em pauta

Ainda na 109ª Reunião Plenária, os conselheiros discutiram a proposta de indicadores de eficácia dos projetos hidroambientais promovidos pelo Comitê a partir dos recursos da Cobrança pelo Uso da Água.

Isso porque, no ano de 2019, por meio da Nota de Auditoria IGAM nº 1370.0649.19, foi solicitado um plano de ações que requereu a apresentação de proposta por parte da Agência Peixe Vivo em articulação com o CBH Rio das Velhas destinada ao acompanhamento dos projetos após a sua execução, objetivando mensurar se um determinado projeto foi capaz de atribuir melhorias significativamente reconhecidas após sua realização.

Para a viabilização desta ação, a ideia agora é inserir os Subcomitês no contexto. Para tanto, a partir da data de encerramento do projeto, cada coordenador receberá um informativo da Agência Peixe Vivo caracterizando a metodologia e as respectivas épocas de medição.

Durante a Plenária, os membros ainda aprovaram os relatórios de atividades do GACG de 2018 e 2019, além da ata da 108° Reunião Ordinária do CBH Rio das Velhas.