Empreendedorismo Entrevista

Paulo Octávio e sua trajetória de sucesso

A empresa Paulo Octávio possui 45 anos de sucesso na história de Brasília

Paulo Octávio Alves Pereira, 69 anos, é um dos mais importantes empresários de Brasília. Formado em direito pelo UniCeub ele já foi vice-governador do Distrito Federal e chegou a ser empossado como governador interino em 2010. Ele é técnico em transações imobiliárias e atua no mercado imobiliário desde 1976, com as empresas das Organizações Paulo Octávio. 

Em um bate-papo com o Grupo Voz de Brasília, Paulo Octávio falou sobre sua trajetória profissional e contou como chegou na capital federal.

Voz de Brasília – Você é um dos maiores empresários de Brasília. Como o Paulo Octávio veio parar na capital do Brasil? 
Paulo Octávio – O meu pai se empolgou muito com o governo JK em Minas Gerais, eu sou de Lavras, uma cidade do Sul. Quando JK fez algumas promessas como candidato ao governo, meu pai que era do partido de oposição não acreditou. Com o passar do tempo JK implementou todas as medidas que tinha lançado em sua candidatura ao governo de Minas Gerais e com isso foi conquistando o meu pai. Algumas vezes o presidente JK, ainda como governador de Minas esteve em Lavras e o meu pai o recebeu e se entusiasmou com aquela história de Brasília. Quando Juscelino ganhou a presidência e falou que ia construir Brasília, meu pai acreditou, nesse político que conseguia fazer tantas coisas, quer como prefeito de Belo Horizonte, ou governador de Minas. Meu pai começou a se encantar com a história e com a construção de Brasília, e fez uma visita em 1958 quando ela ainda estava em construção. Ele se empolgou com essa ideia e decidiu que iria morar nessa nova cidade. Brasília foi inaugurada em 1960 e em 1961 meu pai se mudou para Brasília. Em 1962 eu cheguei aqui com o resto da família: minha mãe e meus dois irmãos e fomos morar na 106 Sul. 

 

Voz de Brasília – Seu pai demonstrou muita coragem vindo para Brasília ainda no início e com filhos pequenos. Naquela época as escolas eram mais difíceis aqui na região? 
Paulo Octávio – Não era. Brasília foi construída de uma forma bem interessante e na frente da quadra que eu morava já tinha uma escola classe funcionando perfeitamente. Eu já estava no ginásio e fui para o CASEB e lá era um primor de escola. A minha irmã que estudava na escola classe, a tarde ela tinha Escola Parque na 308, que também já estava funcionando a todo vapor com ótimos professores. O projeto educacional de Brasília começou muito bem, ele foi iniciado já com a inauguração de Brasília. 

 

Voz de Brasília – Você chegou em Brasília aos 12 anos. Cresceu e se desenvolveu em Brasília. Como foi sua caminhada até se tornar o profissional que é hoje? 
Paulo Octávio – Já muito jovem eu me interessava em estudar e trabalhar. Eu comecei a trabalhar aos 15 anos. Eu tinha um vizinho que estava lançando um pecúlio, um tipo de um seguro e como ele era amigo do meu pai, eu me candidatei para ser um vendedor dele. Ele me deixou trabalhar, e nas horas vagas eu vendia esse pecúlio para professores, para amigos do meu pai. Eu me esforçava para tentar ter uma independência financeira. Ter um dia ativo, uma renda própria, isso sempre foi coisas minhas. Com o tempo comecei a trabalhar com fundos de investimento e alguns deram ótimos resultados. Estudei economia na UnB durante dois anos e meio e depois transferi para Direito no UniCeub, eu chegava a vender os fundos de investimentos para os professores. Aos 20 anos passei a trabalhar com imóveis, com 25 anos achei que estava na hora de montar uma empresa e inaugurei a Paulo Octávio Investimentos e vai fazer agora quase 50 anos. 

Voz de Brasília – Sua caminhada foi de extremo sucesso, além de muito trabalho é sempre necessário contar com a ajuda de Deus. Como é sua fé? 
Paulo Octávio – Eu sou do interior de Minas e minha família sempre fui muito religiosa. Então eu tive uma educação muito boa, muito consolidada em uma família tranquila. Eu tive sempre a presença de Deus na minha vida toda. O tempo me ensinou que você tem que manter a fé, que é uma benção. A fé em Deus que ajuda você acreditar quer as coisas podem ser resolvidas, acreditar que tem uma mão acima de você de ajudando. Também devo muito a formação que eu recebi. Comecei em um grupo escolar em Lavras, com a formação educacional, uma escola pública muito boa no Sul de Minas. Depois eu vim aqui para o CASEB, passei pela UnB. Minha educação sempre foi em escola pública e muito boa. Valorizo muito a escola pública brasileira. Como eu trabalhava muito acabei me formando em Direito no UniCeub, por ser o único curso que tinha a noite naquela época. 

 

Voz de Brasília – Eu gostaria que você falasse sobre a empresa Paulo Octávio hoje. Você tem ideia de quantas pessoas você emprega e como sua empresa movimenta a economia no Brasil? 
Paulo Octávio – Realmente os números são grandiosos. No ano passado nos assinamos a carteira de trabalho número 50 mil. Não que tenhamos hoje 50 mil funcionários, mas durante esses 45 anos de empresa, nós empregamos e demos trabalho para 50 mil pessoas. Isso é muito significativo. Eu me lembro quando fomos assinar a carteira número 50 mil, que chamamos o trabalhador, que era um pedreiro que está com a gente até hoje. Nós comemoramos esse número. Hoje a Paulo Octávio está em várias atividades: estamos na construção civil, na área de hotelaria, na de shopping center, na de automóveis, comunicações, ou seja, em vários seguimentos. Hoje nos devemos ter entre 4 mil ou 5 mil funcionários. Que são os trabalhadores que fazem parte das Organizações Paulo Octávio. 

 

Comentar

Clique aqui para postar um comentário